Uma visão de criança para o meio ambiente – Parte1

Catapulta feita por alunos da turma de 6º anos de João de Lima Vana, de 11 anos

‘O meio ambiente é uma torre de cartas; tira um elemento, cai tudo’, diz João, 11 anos.

Num debate na aula de ciências entre alunos de sua turma que incorporavam argumentos de ambientalistas, de um lado, e de fazendeiros, de outro, em disputa por uma área de mata, João ficou do lado dos primeiros.

“Na natureza todas as espécies têm uma relação entre si, e aí se você tira um elemento, causa um grande problema ambiental. É como uma torre de cartas. Se você tira uma carta, todas caem”, diz o estudante de 11 anos, que cursa o sexto ano do ensino fundamental na escola particular Móbile, em Moema, zona sul de São Paulo.

João de Lima Vana mora com o pai (médico), a mãe (advogada), um irmão mais velho (13 anos) e um cachorro, Milu (em homenagem ao cão de Tintim), num apartamento no bairro do Paraíso. Suas matérias preferidas são matemática, ciências e história. Não à toa, pensa em, quando crescer, trabalhar com algo relacionado a matemática ou meio-ambiente. E, também naturalmente, seus programas favoritos são jogar videogame, passear com o cachorro e ir ao Museu Catavento, que procura explicar ciências para crianças e jovens por meios lúdicos e divertidos.

Que aula você estava tendo agora?
Eu tive aula de geografia e agora eu teria aula de inglês

Fala um pouco sobre o que vocês aprenderam nessa aula de geografia.
Bem, a gente estava discutindo qual o melhor meio de transporte para cidade de São Paulo.

Vocês chegaram a alguma conclusão?
A gente chegou a uma conclusão que tem que haver um equilíbrio entre os transportes, não deve ser usado só um transporte e que todos têm suas vantagens e desvantagens. Assim, para cada situação, para umas pode ser boa e para outras pode ser ruim.

Naquela aula de ciências que eu acompanhei, o professor pediu para que a turma debatesse os prós e os contras de desmatar uma área verde para se plantar alimento. E aí parte da turma defendeu o ponto de vista dos fazendeiros que queriam desmatar para plantar e a outra parte defendeu a dos ambientalistas. De que lado você ficou?
Eu fiquei do lado dos ambientalistas.

E por quê?
É que ele dividiu a classe em dois, mas até eu falaria que o ambientalista tá certo porque atualmente a gente tem muito desmatamento e quanto mais a gente desmata mais demora para a natureza recuperar os seus recursos naturais.

Eduardo Knapp/Folhapress

Você conseguiu entender o ponto de vista do outro lado, dos fazendeiros?
Sim, que o humano está precisando tirar mais alimento porque com a superpovoação do planeta Terra, de humanos… a gente precisa de uma grande quantidade de comida.

Adotando o ponto de vista de ambientalista, por quê você diria que importante preservar o verde e os recursos naturais.
Porque eles estão sendo gastados muito rapidamente e há várias outras espécies no planeta, por exemplo, os animais dependem dessas plantas que eles iam desmatar. Por exemplo, algum animal que se alimenta de uma fruta, ele vai ter que provavelmente fugir, porque se ele for plantar soja, o animal vai ter que fugir porque ele não se alimenta de soja, e aquilo também está intoxicado, então ele vai comer e vai morrer. E ele também não comeu, então ele teria que fugir e deixando cada vez mais escasso, assim, estas espécies.

Você sabe o que é aquecimento global?
Eu sei. Bem, é aquecer o planeta, por causa do efeito estufa, porque a camada de ozônio está diminuindo e aí entram mais raios solares e eles não saem. Assim, eles entram facilmente e não saem tão facilmente.

E o que é que causa esse aquecimento global?
Bem.. desmatamento. Desmatamento, destruição das florestas, do meio ambiente, e isto gera esse aquecimento global.

Desmatar também tem esse problema para nós, homens, ou seja, não só para os outros bichos.
Tem também a questão de extinguir as espécies. E aí tanto extingue as espécies… Na natureza todas as espécies têm uma relação entre si, todas têm alguma maneira de interagir entre si e aí se você tira um elemento, causa um grande problema ambiental. É como uma torre de cartas. Você já notou que se você tira uma carta, todas caem? É mais ou menos isso o meio ambiente, se você tira alguns elementos, a torre inteira cai. O que seria no caso essa torre? Seria o meio ambiente. Então tem toda uma relação de dependência um com o outro.

Você acha que todos os países e todas as pessoas do mundo concordam que o aquecimento global é ruim para o planeta como você está dizendo?
Bem, algumas pessoas eu acho que elas não se importam muito com o aquecimento global, só pensam em si mesmas, mas elas são poucas, a maioria já se preocupa com o meio ambiente, eu acho. Por exemplo, uma pessoa que polui, emite gases, estas pessoas que geram essa poluição que destrói esta camada, elas provavelmente não se importam com ela, porque elas estão desmatando, provavelmente sabem destas consequências e continuam fazendo isto.

Mas você acha que tem quem faça isso, que não se preocupe por achar realmente que não está causando problema?
Acho que tem gente sim, porque se a pessoa se preocupasse, ela não desmataria, não poluiria, eu acho.

Tem alguns países no mundo que acham que emitir mais gases não tem tanto problema
Eu sei alguns que são Eu tava vendo no jornal, que eu vejo de vez em quando, quando eu tô em casa, quando o meu pai está assistindo o jornal, e tem um acordo de limite de poluição que cada país pode gerar, e a China e os Estados Unidos não tinham assinado, eu acho, não tinham concordado.

O Acordo de Paris.  É, o Acordo de Paris, sim.

Agora os Estados Unidos tinham feito uma assinatura para entrar, mas aí mudou o presidente, e o novo presidente.  Ah… O Trump. Sim. Ele não aceitou.

Por que você acha que o Trump não?
Eu tava vendo também o jornal, eu não sei se é verdadeira ou falsa essa notícia, que o Trump ganhou [a eleição] porque se ele não tivesse essas pessoas que poluíssem, que são nos Estados Unidos uma parte da energia deles, uma boa parte gerada pela extração de carvão, ele não ganharia a eleição, seria a Hillary Clinton que ganharia. Então ele continuou fazendo isso porque ele ganhou por causa desses votos.

Você acha que a Amazônia é importante para o meio ambiente mundial?
Com certeza, por ser uma floresta tão grande, que ocupa boa parte da América do Sul, eu acho que ela também é uma floresta extremamente importante porque ela abriga uma quantidade enorme de espécies, ela tem uma diversidade enorme, traz vários frutos, ajuda sim a camada de ozônio voltar ao normal, protege o meio ambiente, eu acho. Ela não deve ser destruída, eu acho.

E por que tem gente que ainda desmata a Amazônia?
Acho que porque ela trabalha nisso, de extrair recursos, e aí já como ela quer continuar ganhando dinheiro, ela não se importa em continuar fazendo isso.

Eu queria chegar em um ponto que eu acho que talvez tem a ver com a tua aula de geografia. Numa cidade enorme como São Paulo, quais são os fatores que causam poluição?
Eu acho que um dos fatores também que causam esta poluição é dos rios. Como a maioria foi coberta, eles cobriram os rios, muito animais não poderiam sobreviver, porque eles dependiam destas águas para se alimentar, tanto planta quanto os animais, então tiveram que sair da região. Isso gera um problema enorme na cidade. E outro que eu acho também é o lixo que produzem na cidade, é enorme. Eu acho que ele não deveria ser dito como lixo, lixo para mim é só aquele que não dão função para ele, como por exemplo uma garrafa que eu não reciclo, ou eu não utilizo, aí ela é lixo, aí é o lixo mesmo. Lixo é só aquilo que, digamos que seja inútil, que as pessoas descartam como inútil.

E aí, falando dos carros, principalmente estes a combustível fóssil, petróleo e tal, como é que você acha que poderia diminuir a poluição causada pelos carros?
Bem, eu acho que uma das coisas que ajudam um pouco é o etanol, porque para você produzir você precisa plantar plantas, então você está replantando o ambiente. Então isso é uma solução que eu acho que é mais ecológica do que extração de minerais e de petróleo. Ou carros elétricos, também, que já são uma solução, acho.

Você acha que alguém já nadou no Rio Tietê?
Com certeza já nadaram no Tietê, a gente estudou isso, e a última competição de natação no Tietê foi em 1947, alguma coisa assim…Tinha competição de natação…eles usavam para hidrovia, usavam para transporte, comércio. E isso não é mais possível atualmente, porque as pessoas… Com a construção das represas, eu acho, as pessoas pensaram: “nossa, agora eu não vou mais beber água daqui, então eu acho que eu posso poluir aqui”. Porque antes elas dependiam desse rio, elas tinham que pegar água do rio, e aí elas não poluíam, porque já pensou você poluir a própria água que você vai beber? É como você jogar lixo, se você tivesse, por exemplo, em um tanque de água. E jogar lixo na água que vai para piscina, a que você vai beber…Então eu acho que eles tinham uma conscientização melhor.

E quem poluiu, qual o principal poluidor do Tietê? O motivo de poluição…
Eu acho que as pessoas, e antes, por mais que atualmente tenha sido proibido jogar esgoto no Tietê, um dos principais motivos foi esse, em 1900 até os anos quase que 2000, eles podiam jogar todo o esgoto deles no Tietê. Outro motivo foi que que as pessoas jogavam algumas coisas no Tietê. Mas o Tietê conseguia digamos que aguentar, porque a população de São Paulo não era tão grande quanto atualmente. E já como a cidade cresceu muito, os rios não aguentam, não aguentam mais jogarem tanto lixo, depositarem.

E as indústrias?
As indústrias eu acho que jogam também.

Se você fosse ministro do Meio Ambiente, digamos, do Brasil, ou presidente do Brasil, que medidas você tomaria para que São Paulo e o Brasil, sei lá, fossem mais sustentáveis?
O problema talvez não seja dos fazendeiros, de eles quererem produzir, o problema são os humanos, eles povoarem muito rapidamente e as pessoas demorarem para falecer. E aí nascem muitas pessoas e morre bem menos. Então isso gera um problema enorme, eu acho, para o Brasil. E aí, eu acho que uma das soluções seria deixar mais áreas sendo proibidas de desmatar ou acessar. Que só possam ser utilizadas para estudos ou para conservar este ambiente. Eu acho que outra coisa que tem que ser feita. É que eu não sei muito dizer mas, não é culpa da medicina, não é culpa das pessoas terem filhos, mas quando estes dois… quando a medicina avança muito e as pessoas têm muitos filhos, vai crescer muito a população humana e isto gera um grande problema ambiental, porque aí vai ser necessário desmatar para conseguir ter mais recursos e plantar mais recursos, então uma situação bem complicada, eu acho.

Continua na Parte 2

Fonte: http://temas.folha.uol.com.br/crianca-do-dia/    Por FABIO VICTOR
DE SÃO PAULO em 12/10/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *