Capacitações no Marajó promovem empoderamento de agricultores

As capacitações fazem parte do Projeto Bem Diverso no Território da Cidadania de Marajó. Foto: Jeso Carneiro/Flicker CC.

Capacitações no Marajó promovem empoderamento de agricultores locais e boas práticas no manejo de açaizais

Para capacitar produtores locais sobre as boas práticas no manejo de açaizais na Ilha de Marajó e conservar a biodiversidade da região, o Projeto Bem Diverso reuniu comunidades locais no município de Afuá, no Território da Cidadania do Marajó, norte do estado do Pará, entre 29 de setembro e 3 de outubro.

O Bem Diverso é resultado de parceria entre a Embrapa e o PNUD, com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF). A proposta da iniciativa é promover a conservação da biodiversidade brasileira e a geração de renda para comunidades tradicionais e agricultores familiares. No total, o programa atende seis Territórios da Cidadania com municípios de baixo Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM).

“Ao mesmo tempo em que você enxerga muita riqueza natural nesta região, há um povo que não alcança bons índices de desenvolvimento humano”, observa o pesquisador responsável pelo projeto no âmbito da Embrapa Amapá, Silas Mochiutti. A cidade de Afuá, localizada no Território da Cidadania da Marajó, apresenta IDHM de 0,489, um dos mais baixos do Brasil.

As principais ameaças à conservação da floresta na região são o desmatamento para a produção de madeira serrada; a exploração excessiva de açaí; o uso do fogo na agricultura de subsistência; o manejo inadequado das florestas; e a criação de búfalos que compacta solos em estações chuvosas e destrói a vegetação nativa.

Dessa forma, o objetivo da iniciativa “é fortalecer o arcabouço de extrativismo de produtos florestais não-madeireiros, por meio de boas práticas e manejo, e também a questão do acesso ao mercado, ao crédito, as políticas públicas de aquisição de alimentos”, explica o assessor técnico da coordenação do projeto, Fernando Moretti

O Bem Diverso começou a ser implementado em 2015 e tem previsão de duração de cinco anos, com previsão de capacitação continuada de manejo de açaizais durante esse período. “Vamos trabalhar juntos o manejo e implementar uma unidade de aprendizado. Nessa unidade, se troca conhecimento técnico e o conhecimento tradicional do ribeirinho”, ressalta Mochiutti.

Atualmente, há cerca de 4.500 famílias assentadas no município de Afuá. A produção gerada por essas comunidades está em torno de 900 toneladas por dia de açaí. “É muito grande a produção. Estamos otimistas porque teremos a questão do melhoramento da produção, do manejo do açaizal, espaçamento, para que a gente possa produzir mais e melhor”, conta o reconhecido líder na Ilha do Meio (Afuá), Francisco Nazaré de Almeida.

Capacitação no Alto Rio Pardo

No âmbito do Projeto Bem Diverso, cerca de trinta pequenos agricultores participaram de capacitação sobre o manejo de matéria orgânica nos cultivos de café, na comunidade Vereda Funda, no município de Rio Pardo de Minas, do Território da Cidadania do Alto Rio Pardo, no norte do estado de Minas Gerais, entre 18 e 24 de setembro.

A oficina Ambiência e manejo de poda de sistemas agroflorestais com café no território do Alto Rio Pardo promoveu trocas de experiências e conhecimentos sobre técnicas e práticas relacionadas a esse sistema de cultivo tradicional. Além dos pequenos agricultores, participaram do evento técnicos de Assistência Técnica e Rural (Ater), estudantes da Escola Família Agrícola (EFA) Nova Esperança e representantes do Conselho Gestor da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Nascente Geraizeira.

do PNUD, com informações da EMBRAPA em 11/out/2016

Fonte: www.br.undp.org/

maio 30, 2017

Tags:, , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *